Bom dia pessoal, como vocês estão?

Hoje não queria compartilhar com vocês algo da Melissa, mas sim meu como mãe... Sei que muitas pessoas passam por situações difíceis e constrangedoras. Situações de preconceitos e desprezos...

Como podemos lidar com isso, o famoso saia justa?

Na verdade, a situação que passei não foi diretamente relacionada à Melissa, mas foi uma situação em que eu me vi desconfortável e triste ao mesmo tempo, porém acredito que a pessoa não teve intensão alguma. Tanto que eu fingi não ter escutado e continuamos a conversa.

Mas aquilo pegou meu coração! Vamos lá... vou contar a vocês.

Este final de semana fomos num aniversário de uma amiguinha da Melissa e acabamos reencontrando vários amigos dela, da escola antiga.

Enquanto a Melissa estava sendo super bem recebida pelas crianças, abraçada, beijada e brincando até, eu me sentei junto das mães para conversarmos, já que agora não estávamos mais no mesmo ambiente escolar.

Enquanto falávamos sobre como lidar com situações de teimosias, o que fazíamos, etc, começamos a falar que muitas vezes perdíamos a “estribeira” e acabávamos gritando, porque ninguém é de ferro.

Foi quando uma das mães contou que os filhos estavam brigando muito e o pai entrou no meio, porém ao invés de separar a briga acabou incentivando e xingando as crianças no tom de brincadeira de mongoloides.

Nossa, aquilo me doeu! Porque essa palavra é muito forte e era muito usada antigamente para se referir às pessoas com Síndrome de Down.

No momento fiquei quieta, não disse nada, apenas fiquei ali no meio da conversa...

Depois de um tempo me levantei e fui conversar com outras pessoas também.

Para muitos isso não é nada, mas para mim foi como um soco no estômago, pois pais usarem palavras assim com filhos, de certa forma até instigando este tipo de atitude, me chateou.

Mas, como falo, infelizmente teremos que enfrentar muitos momentos como esse e até mesmo piores. Temos que ser fortes, nosso dia a dia já é bem pesado. Apenas quem tem pessoas especiais na família é que entende quão duro é nossa batalha diária.

Queria dizer a vocês que nunca abaixem a cabeça, pois isso não é nada. O que importa é nossos filhos estarem com saúde, bem e se desenvolvendo para um futuro melhor, em busca de sua independência.

Um grande abraço a todos e nos encontramos novamente semana que vem!!!