Quem nunca passou nervoso com os filhos por fazerem birras, malcriações e não obedecerem os pais quando pedimos algo?

Parece que fazem de propósito não é mesmo? Você fala uma coisa e eles fazem o contrário...

Bem, a Melissa está numa fase dessas, com 3 anos e 2 meses... Sempre que é contrariada fica nervosa, joga as coisas e chega até a bater.

Pensei em buscar ajuda profissional, uma Psicóloga, para que nos instruísse melhor em como lidar com essas ações.

Foi quando recebi da minha irmã Tatiana, madrinha da Melissa, um artigo falando exatamente sobre essas reações e me surpreendeu muito (10 situações que parecem birra mas não são )... Consegui entender algumas atitudes da Melissa e agora consigo aplicar melhor o auto controle para não me irritar com essas situações.

Acho que vale muito a pena todos lerem, pois talvez seja simples de resolver e a gente acaba complicando a situações sem necessidade.

No dia 22 de Maio de 2017 fomos a uma consulta eu, meu marido e a Melzinha, junto à Profissional Daniela Cheraid, e nos auxiliou muito esclarecendo vários pontos.

Seguem algumas informações que acho serão muito úteis para as famílias.

A Dani nos explicou que dos 3 aos 5 anos é um momento muito crítico no desenvolvimento das crianças e na formação ética e moral. Portanto, todas as nossas ações serão essenciais para esta formação, ja que as crianças nesta idade se espelham muito em seus pais. Ela disse que realmente é normal essa questão da impulsividade, pois as crianças ainda não tem esse auto controle e não sabem ainda realmente definir o que é certo e errado. Elas acabam tendo a impulsão de atos antes de pensar e aí que entram os pais e o cuidador. Precisamos ter muita paciência e explicar o que seria o certo e o porque não ter alguma reação que nao seja adequada para o momento, como por exemplo jogar objetos porque ficou triste. Pessoal, precisamos realmente da PACIÊNCIA, pois teremos que repetir várias vezes a mesma coisa.

Sei que muitas vezes perdemos as "estribeiras" e acabamos "explodindo", não tem problema, isso também é normal. Depois que temos essa reação às vezes nos arrependemos, mas faz parte. Isto também será importante para a criança entender qual é o limite de seus pais, até onde ela poderá chegar para que seus pais não "explodam".

Espero ter ajudado um pouquinho... Claro que se necessário o profissional sempre é bem vindo, pois muitas situações podem acontecer e um acompanhamento faz a diferença para que nossos filhos tenham um desenvolvimento adequado... Não digo isso para crianças com Síndrome de Down não, digo para todas as crianças, pois crianças são crianças, independente de suas limitações.