Nossa! Este é um assunto muito delicado, não é mesmo?

Nossas crianças passam por muitas fases e uma dessas fases é a mordida, uma forma de defesa que elas têm quando não conseguem se expressar. Nossos filhos podem ser mordidos, mas também podem ser aqueles que mordem.

Vou contar aqui uma situação em que eu fiquei muito brava e quase perdi a cabeça... mas depois as coisas se acertaram.

A Melissa teve uma semana na escolinha em que foi mordida 3 vezes na mesma semana, mas não foi mordidinha não! Voltou com marcas bem fortes e até mesmo roxas.

Na primeira vez, quando fui pegá-la na escola, a professora veio acompanhando-a e me chamou para conversar, me contou o que havia acontecido e eu entendi, não fiquei brava nem nada porque sabia que era uma situação que poderia ocorrer.

Na segunda vez tornaram a me relatar, porém na agenda da Melissa. Na terceira vez não me falaram nada e aí foi quando eu fiquei muito brava. No mesmo dia, voltei na escola e pedi para falar com a coordenadora.

A coordenadora me recebeu prontamente, porém com auxílio da psicóloga. Expliquei que entendia a situação, que as crianças nem sempre sabem se expressar e que acabam mordendo ou batendo, mas que era inadmissível ela ser mordida 3 vezes na mesma semana e ainda mais pela mesma criança.

Tentaram me explicar que já estavam fazendo um trabalho com a criança e até mesmo com os pais, mas eu me irritei e acabei soltando que se não resolvessem e se a Melissa fosse mordida mais uma vez, elas seriam obrigadas a me falar quem eram os pais da criança, pois eu quem os morderia rsrs... Hoje é engraçado, mas no dia eu estava tão nervosa que acabei falando isso. Claro que não faria nada disso, mas de qualquer forma a Mel nunca mais foi mordida.

Em busca de esclarecimentos, recebi orientações da Psic. Me. Daniela Cátia Cheraid, Psicóloga Clínica e Escolar, graduada em Psicologia pela Universidade São Fransicso (2001) e Mestre em Saúde, Interdisciplinaridade e Reabilitação pela FCM/Unicamp (2012) muito bacana falando sobre mordidas e queria compartilhar com vocês.

Ela disse que a mordida é, e sempre foi um meio de defesa principalmente para se conseguir o que se quer. É uma forma "drástica" de se comunicar.

Alguns passam por isso, outros não. Alguns são incentivados por brincadeiras dentro de casa, outros por comportamentos fora de casa (foram mordidos) e outros por índole.

O que precisa ser feito é mostrar a eles que existem outras formas para se demonstrar esse 'querer' e o se 'defender'.

Normalmente as mordidas são praticadas por crianças pequenas em fase de amadurecimento que estão tomando contato com sentimentos como medo, frustração, angústia e tantos outros que instigam diferentes formas de comunicação e defesa, passando do choro, enquanto bebês, para a mordida em crianças um pouco maiores.

A criança que morde usa a mordida como meio de comunicação, como último recurso, e não como uma forma de violência ou agressividade.

Os pais e professores devem ficar atentos em não supervalorizar o ato 'a mordida' e sim analisar as causas que levaram.

Espero que este texto ajudem vocês a entenderem e poderem ter mais paciência nesta fase... Não tenham reações como as que eu tive rsrs Nem sempre é fácil, mas precisamos tentar e nos controlar, afinal de contas, nossos filhos serão nosso reflexo.