Bom dia pessoal! Como vocês estão?

Queria compartilhar com vocês um assunto muito delicado... Tenho certeza de que todos aqui já passaram por alguma situação como a que vou expor...

A Melissa teve um tersol no dia 31 de Janeiro, quando retornaram suas aulas... no início parecia até conjuntivite. Por certo tempo um alívio, pois o tersol não transmite e em teoria sara rapidamente.

ALGO QUE NÃO ACONTECEU COM A MELISSA!

A primeira consulta que fiz com a Melissa foi na emergência do plano de saúde em que a oftalmologista diagnosticou como tersol, passou os procedimentos de limpeza e uma pomada com antibiótico para ajudar na inflamação.

Ok, eu claro que segui todas as orientações e também corri atrás de mais informações, lendo, conversando com outros, etc...

Tersol? Calázio?

Depois de 10 dias, não havia melhorado, não sumiu... Marquei outro oftalmologista (30 dias depois da primeira consulta) e o mesmo disse que o tersol tinha virado um calázio. Para quem não sabe o que é isso, é o tersol que não vazou e acabou encapsulando, ou seja, a secreção ficou dentro de uma "pele" dura que não teria mais como vazar.

Tersol? Calázio?

Bem, meu desespero foi quando este outro oftalmologista disse que não incomodava, pois quando encapsula, não dói mais, porém não tinha o que fazer e que o corpo conseguiria absorver por si só, mas isso poderia levar 2 anos para acontecer... ISSO MESMO!!! 2 anos... Imaginem como eu não fiquei...

Enfim, ok, continuei com as higienizações com shampoo Johnson amarelo e as compressas de água morna... e quando inchava mais, eu intensificava as compressas.

Depois de 2 meses (Abril) fui em outro oftalmologista para ter uma outra opinião, porque na verdade não consegui aceitar muito a questão de ter que esperar por 2 anos. E aí, mais uma vez, escuto que não tinha o que fazer, que o corpo faria a absorção, que cirurgia seria algo desnecessário, já que ela é criança e para isso teria que ser feito com anestesia geral.

Bem... continuei seguindo as instruções, mas o que mais me incomodava eram as pessoas questionarem muito quando viam a Melissa, ficavam olhando para ela, perguntando o que era, falando coitada... e me perguntando: você já fez isso? Você já foi no médico? Você já fez as simpatias etc...

NOSSA, gente, desculpem mas é um momento de desabafo e o que mais me deixava irritada eram as pessoas me interrogando, como se eu não cuidasse de minha filha e como se eu não estivesse nem aí para ela. Além de ficarem falando as coisas na frente dela... ELA ENTENDE TUDO! O que aconteceu é que sempre que as pessoas olhavam para ela, ela já mostrava a língua e se escondia... e com razão... ela ficou completamente constrangida por estar com aquilo no olho e todo mundo olhando e questionando.

POXA... parem com isso! As mães já estão passando por tantas coisas, pressões de todos os lados, não apenas com os cuidados médicos, mas também com outras necessidades que não deixam de existir, como terapias, escola e etc...

No início de Junho o calázio começou a aumentar E MUITO. Ficou mais inflamado. Foi aí que fui no quarto oftalmologista, que ADOREI! Ele me falou que era um calázio e que a cirurgia é muito simples, levaria menos de 15 minutos, mas que ele não poderia fazer ali no consultório, pois como é criança precisaria fazer anestesia geral, então teria que ser em um hospital.

Aí começou o grande dilema e correria, a fim de localizar um profissional e um bom hospital que fizesse esse procedimento e que eu pudesse confiar...

Liguei no Hospital Vera Cruz, que não trabalha com isso e me indicou a Clínica Raskin. Liguei lá e me deram um sermão falando que era para eu ter certeza de fazer isso, porque a cirurgia era com anestesia geral, que era uma criança etc... Me deram um sermão daqueles por telefone, sem a noção de como minha filha estava e, o pior de tudo, não faziam o procedimento.

Tive a indicação da pediatra da Melissa, Dra. Flavia Nogueira, que tem uma paciente que passou por este mesmo procedimento no Hospital Penido Burnier. Liguei lá e consegui a indicação da oftalmologista Dra. Natalia Belo, que só tinha consulta para meio de Julho... Marquei, mas aí no dia 24 de Junho recebi a ligação da secretária dela, Mônica, que conseguiu um encaixe para o dia seguinte. Fiquei muito feliz, pois estava preocupada com a Melissa e queria resolver isso o quanto antes, afinal estava cada vez maior.

Tersol? Calázio?

Conseguimos o encaixe também com o anestesista para que já pudéssemos agendar a cirurgia.

Fui muito bem atendida pela Dra. Natalia e também pela Dra. Carla (Anestesista). Consegui sair da consulta bem tranquila e sabendo que a cirurgia era a única solução, pois quando o calázio se forma, dificilmente o corpo consegue absorver.

Estávamos com a esperança de fazer a cirurgia na mesma semana, porém como estávamos com a viagem marcada para Belo Horizonte, onde a Melissa passaria por 15 dias de intensivão com a Fono Cinthia (criadora do Multigestos), deixamos para realizar o procedimento após a viagem.

Tudo agendado para o dia 15 de Julho, às 09h30, com chegada ao hospital às 08h30.

CHEGOU O DIA!!! Pensem numa noite em claro... Sei que a cirurgia seria simples, mas sou mãe rsrs e fiquei preocupada.

Bem, nos preparamos para a cirurgia, jejum de 8h , incluindo água. Pensem numa pessoinha que acorda com MUITA fome e pede “papá” rsrs. Jogo de cintura e conversa explicando o que teria que fazer e o porque ela não poderia comer e nem beber água.

Tivemos alguns probleminhas de demora no hospital, mas depois de alguns “xiliques” as coisas andaram rs.

Levei a Melissa até a porta do centro cirúrgico e a entreguei nos braços da anestesista às 10h27. Falei para ela que seria rápido, para ela ficar quietinha que ajudaria as titias no procedimento e que a amava demais rs.

Meu Deus! A espera mata e dói demais, pois você não sabe como as coisas estão, o que está se passando e você não pode fazer nada.

Às 10h57 a auxiliar veio até a sala avisar que a cirurgia já havia terminado e que ela estava bem e já se recuperando da anestesia. Fui até a porta do centro cirúrgico e lá ela estava, no colo da enfermeira, quietinha e sonolenta.

Ficamos no hospital aguardando para que ela pudesse comer e beber água, ter a certeza que ela estaria bem e não teria nenhuma reação pós anestésica e aí sim poderíamos ir embora.

A Melissa foi excepcional!!! Recebeu elogios da equipe toda dizendo que ficou quietinha tanto na hora de dormir quanto na hora de acordar e que tudo tinha dado certo.

Aqui a foto dela no dia seguinte... Estamos com os cuidados com pomada e colírio. A cirurgia aconteceu nos dois olhos, retiramos calázio que já tinha formado no outro olho também.

Graças a Deus tudo em ordem!!! E hoje ela já está assim:

Tersol? Calázio?

Logo mais estará 100%!

Pessoal, hoje o texto foi longo, mas o perrengue de quase 6 meses não foi fácil pra mim... agora imaginem para a Melissa.

Espero que as pessoas possam ter um pouquinho mais de cuidado quando tratarem algo na frente de uma criança, afinal de contas, elas entendem tudo.

Um grande abraço pessoal e até semana que vem!!!