Dia 18/11/17 um Sábado, tudo maravilhoso, dia foi perfeito com muitas brincadeiras e diversão, mas as tosses estavam ficando mais intensas e no final do dia ela começou a ficar amoada...

Para mim o difícil foi na hora da janta que ela não quis comer e uma das comidas que ela mais gosta - strognoff de frango. Meu coração já começou a ficar mais acelerado e preocupada, foi quando fui até a cozinha levar o prato dela que escutei um grito muito alto dela e ela chorando muito... sai correndo porque a coisa mais rara que tem é a Melissa chorar, sabia que tinha algo errado.

Ela veio e me abraçou e não queria sair do meu colo... estava com uma carinha de assustada e eu tentando conversar com ela e entender o que tinha acontecido.

Vi que ela já estava bem ofegante, foi ai que chamei o Du para medirmos seus dados vitais... estava saturando 93... auscultei e estava ja estertorando... foi quando olhei para ela que começou a dormir e ter alguns espasmos respiratórios... sua saturação começou a cair rapidamente chegando em 80... foi aí que saimos correndo para o Hospital.

Meu marido falou apenas pegue o Eric e vamos... 

Já era mais de 21h30, o Eric já estava dormindo no bercinho, mas peguei ele e corri para o carro. Só tive tempo de pegar uma troquinna de roupa para a Mel e ele.

Fui dirigindo rapidamente, buzinando e dando sinal para as pessoas sairem da frente enquanto o Du foi conversando com ela para que ela não dormisse e derepente parasse de respirar...

Chegamos no Hospital ele desceu com ela enquanto eu ia estacionar, só que o mundo caiu... foi aquele dia de tempestade super forte que alagou vários lugares... fiquei presa no carro com o Eric, sem saber o que estava acontecendo lá dentro do hospital...

Então resolvi dar a volta e estacionar no Hospital mesmo, pois nessas horas o valor de um estacionamento não é nada...

Desci e subi correndo para o PS, ela já estava sendo medicada...

Bem tinha que resolver a questão do Eric, mas graças a Deus minha irmã Camila veio ao Hospital pegá-lo e o levou para a casa de minha mãe.

Bem... voltei para o PS e ela já estava melhorzinha, mas o Du me falou que ela tinha vomitado muito como ele nunca tinha visto... ali fizemos 3 inalações com aerolin, remédio de febre (que apareceu lá no hospital) e raio x... PRONTO... identificado novamente a pneumonia... questionei que eles tinham que ter cuidado para ver a imagem pois ela tinha a “cicatriz” no pulmão direito e também tinha acabado de sair de outra pneumonia, mas a médica confirmou que a imagem estava diferente...

Ali sabia que ela iria internar para receber as medicações e ficar mais um tempo com o oxigênio.

O pesadelo recomeça!!!

O pesadelo recomeça!!!

Eu estava com um recém nascido, então a correria era intensa... ficava com ela no período da manhã, até umas 13h quando minha mãe trocava comigo e de noite o Eduardo dormia no hospital...

Graças a Deus a recuperação dela desta vez estava sendo fantástica e eu sentia que seriam poucos dias... E vejam... mesmo com seus momentos de tensão, ela conseguia se manter ativa e brincando...

Dia 21/11 minha pequena teve sua alta e fomos para casa!!! Não existe sensação melhor!!!

Ahhh detalhe que não mencionei... minha mãe passou por uma situação muito desagradável e mostra como nosso país esta longe de ser um país de primeira... Ela chegou para estacionar na vaga de deficiente aqui próximo ao hospital e um homem estava lá de pé do lado do carro dele, ela educadamente perguntou se ele estava saindo e ele respondeu - Não porque? Ela mostrou o cartão e disse que ali era vaga especial... Sabem o que ele respondeu!?!? - A senhora se esqueceu que estamos num país sem fiscalização!?

Mas a resposta dela foi a mais sensacional: - verdade, sem fiscalização e sem educação.

Infelizmente em nosso dia a dia sempre vamos nos deparar com pessoas assim e devemos sempre dar a volta por cima!

Desejo a todos uma ótima semana e até o nosso próximo artigo!