Bom dia pessoal! Tudo bem com vocês?

Hoje gostaria de compartilhar com vocês, de forma resumida, um curso que fiz sobre alfabetização para crianças com T21 e também com atrasos neurológicos. Esse curso ensina como podemos ajudar nossas crianças a atingirem marcos importantes e continuarem se desenvolvendo no dia a dia.

Este treinamento aconteceu em Barão Geraldo, na Fundação Síndrome de Down, no dia 22 de Setembro de 2018. Tive a imensa oportunidade de conhecer essas duas fantásticas profissionais de São Paulo, que vieram para Campinas ministrar este treinamento, que normalmente só ocorre em São Paulo, além de encontrar amigas!

Este treinamento foi ministrado pela Fonoaudióloga Valéria Alabarse dos Santos (à direita) e a Terapeuta Ocupacional Fabiana Prado de Alencar (à esquerda).

Bem, foram muitas dicas e muitas informações, mas vocês sabem que eu gosto de compartilhar tudo o que posso para poder ajudar àqueles que não tiveram oportunidade de estarem presentes. Então vamos lá!

Primeiramente, elas realçaram o que alguns profissionais já haviam mencionado e realmente concordo com esta afirmação, que as crianças com Síndrome de Down conseguem guardar as informações quando se tem repetição das atividades. É muito importante colocar as crianças para realizarem as atividades do dia a dia e não simplesmente sobrecarregá-las de terapias, exercícios e atividades direcionadas.

Em nosso dia a dia a criança já está aprendendo muito, como por exemplo, colocar a mesa do jantar, ela conseguirá contar quantos pratos, talheres e copos deverá colocar para sua família. Levar as crianças para fazerem compras e durante esse tempo, trabalhar de forma lúdica, como por exemplo, quantas maçãs pegar para a família e assim por diante.

Nós vivemos cercados de informações e precisamos usá-las de forma educacional. Outro exemplo é placa de sinalização nas ruas, outdoors, arrumar brinquedos, ajudar a pagar uma conta na padaria e pegar troco etc...

Um dos pontos chaves é a concentração. Eles tem um tempo muito curto de atenção e por isso precisamos trabalhar de forma assertiva para terem maiores resultados. Os pontos importantes são:

1-   Estar num ambiente adequado, silencioso e sem objetos ou coisas que possam tirar a atenção (TVs, telefones etc).

2-   Ter uma mesa e uma cadeira adequadas para que a criança tenha uma postura ereta. A postura é essencial, principalmente pés apoiados para que a criança não se desfoque com os pés balançando. Outra dica é que quando o corpo está ereto, a criança fica com a boca mais fechada. Quando está solto o corpo, está mais relaxado e, consequentemente, a boca abre.

3-   Chamar a atenção da criança sempre que perceber que a mesma está se desfocando. Exemplo: Melissa, presta atenção. Melissa, olhe novamente com atenção...

A memória de curto prazo é a que traz essa dificuldade para nossos filhos guardarem as informações, então uma coisa muito importante para que vocês possam fazer com suas crianças e orientar todos que convivem com eles é: NUNCA infantilizar, pois nossas crianças aprendem, e se aprendem de maneira errada, depois para desaprender e aprender o correto será muito mais difícil. Ex: ai que bunitinho, ai fofinho, pega o sapatinho etc...

As maneiras mais lúdicas de trabalhar, materiais atrativos, repetições, favorecer motivação, ter organização, planejamento e sistematização de informações são pontos chaves para se trabalhar com eles.

A Melissa tem apraxia de fala, então ela não tem a verbalização formada, porém ela se faz entender. Usa gestos e outras formas para poder ter algo que queira.

Isso foi outro ponto chave que elas esclareceram, informando que é importante darmos alternativas para nossos filhos, para que de alguma forma eles possam se comunicar, seja verbal ou gestual, o importante é a comunicação, porém uma comunicação que seja mais universal, para que todos entendam e não apenas as pessoas que convivem com eles. O exemplo foi: para números usar as mãos, para telefone usar o gesto com a mão no ouvido e assim por diante.

Outro ponto levantado que fará muita diferença nas atividades escolares e também na alfabetização é o trabalho duro quanto à Motricidade Fina, que é aquela em que as crianças trabalham a estabilidade corporal, coordenação bilateral, apreensão do lápis (pega de pinça) e assim por diante.

O trabalho de fortalecimento muscular para que a criança consiga uma postura ereta e também a força necessária para manter o corpo estável para realizar a escrita no papel também é necessário.

No momento da Alfabetização a criança precisa ter a consciência fonoaudiológica e um “aparelho” simples que elas e algumas outras fonos utilizam é o “telefone” de cano de PVC. Vou colocar aqui a foto do que eu fiz para a Melissa. Com este “aparelho” ela consegue escutar o som que está pronunciando e aí conseguirmos trabalhar com o som correto das palavras, fonemas etc.

Novos aprendizados   

Outra fonte muito importante para o desenvolvimento de nossos filhos na alfabetização é a LEITURA, uma base para o processo da alfabetização. Precisamos estimular o hábito da leitura, pois isso enriquece o vocabulário de nossos filhos, além de ajudar na pronúncia de palavras diversas. Uma dica que ela deu foram os livros da Rita Sapeca, pois além de serem textos simples e de fácil leitura, ele usa figuras no lugar das palavras onde a criança tem sua participação. Colocarei aqui as fotos dos livros que eu comprei para a Mel e já estou trabalhando com ela.

Novos aprendizados   

Novos aprendizados   

Novos aprendizados   

Novos aprendizados   

Outro material que mencionaram é o chamado “Construtor de Frases” da Oficina da Linguagem. Realmente é uma material que ajuda a criança ver e entender a lógica para a formação de uma frase.

Novos aprendizados   

Olhando no site acabei vendo outros materiais que poderia utilizar com a Melissa, como o trabalho com as vogais, já que ela é nova e estamos trabalhando a questão da apraxia. Unimos o útil ao agradável. Pedi auxílio às terapeutas da Melissa para ver quais materiais poderíamos usar para ajudá-la ainda mais em seu desenvolvimento.

Além desses, também adquiri um material artesanal para trabalhar os números com a Mel. Muito interessante e o mais importante: lúdico que chama atenção.

Novos aprendizados   

Outra técnica de atividade que podemos usar em casa, porque como disse anteriormente, eles aprendem por repetição, e não apenas isso, muito por imitação. Veja na Melissa que ela aprende e com facilidade vendo os demais, ela tem a memória visual muito forte e por isso um dos trabalhos que iniciei com ela foi essa dica passada pelas profissionais – lousa ou papel ou qualquer base que possa desenhar. Uma para você e outra para a criança. Importante fazer para que a criança veja e depois repita. Ideal, sempre que fizer, ter 3 repetições para que possa fixar esse aprendizado.

FOTOS para mostrar esse trabalho

No treinamento ganhamos o material para trabalhar com as crianças e em casa já consegui fazer algo. Mas o mais impressionante foi que quase nem precisei explicar e ela já foi replicar... Não era o trabalho em si, eu tinha chegado do treinamento e ela ficou curiosa em ver tudo o que eu tinha na mão rsrs

Mas lembrem-se que é sempre necessário ter um ambiente tranquilo, sem barulhos ou distrações e que estejam numa mesa e cadeira para ter uma postura ereta.

Espero, de coração, que tenham gostado! Sei que foi muito superficial, mais infelizmente nem sempre conseguimos transmitir todas as informações que gostaríamos em pouco tempo ou em um pedaço de papel.

E vocês sabem que estarei sempre disponível para perguntas e dúvidas.

Um grande abraço a todos!!!