Bom dia pessoal!!! Hoje queria trazer uma estória de vida... Vocês sabem que gosto também que as pessoas participem e dividam conosco suas histórias, pois sempre temos muito a aprender com os demais.

Tive o prazer imenso de ter amizade pelo Blog com Hallyson Hedhen, sobrinho de João Batista, hoje sendo considerado o homem com Síndrome de Down mais velho no Brasil.

Hallyson dividiu comigo algumas matérias que seu tio já participou e vou dividir com vocês um pouquinho... Infelizmente não posso conhecê-lo pessoalmente neste momento por estar em Goiás, distante de São Paulo, mas quem sabe um dia, quando minhas crianças estiverem maiores, possamos fazer uma viagem e encontrá-los...

"O goiano da cidade de Caçu, João Batista Rezende entra para o RankBrasil por ser o Mais idoso com Síndrome de Down do país. Nascido em 23 de junho de 1948, ele teve o recorde oficialmente reconhecido em 26 de setembro de 2018, então com 70 anos, três meses e três dias.

Homem mais idoso com Síndrome de Down no Brasil


João Batista mora com a irmã, Olegária Cândida de Rezende, que cuida dele desde 1998. Segundo ela, o goiano desfruta de boa saúde. “Tanto é que chegou à idade que está hoje. “Ele nunca precisou nem mesmo fazer alguma cirurgia”, comenta.

Olegária conta que o irmão gosta de tocar gaita de boca, assistir televisão e dançar, apesar de não estar mais participando dos bailes da terceira idade, que frequentava antigamente. “Também gostava muito de ir à igreja, no entanto está indo menos agora”, diz.

No dia a dia, João Batista faz uma caminhada matinal e vai visitar alguns amigos. “Meu irmão ainda costuma brincar em seu ‘ateliê’, onde costura para os bonequinhos feitos por ele”.

De acordo com Olegária, o reconhecimento do recorde pelo RankBrasil é motivo de orgulho para sua família. “Este título mostra que mesmo sendo portador de uma síndrome, João Batista conseguiu ter uma vida saudável”, afirma.

A irmã do recordista acredita que atualmente não existe mais o preconceito em relação a pessoas com a Síndrome de Down como antigamente: “Cada vez mais os portadores desta síndrome estão sendo inseridos na sociedade, participando ativamente de várias atividades diárias”.

Na oportunidade, Olegária deixa uma mensagem para pais e mães que têm filhos com a trissomia 21. “É preciso aceitação, dedicação e muito amor. É isso que eles precisam”, finaliza."

Homem mais idoso com Síndrome de Down no Brasil

Hallyson, muito Obrigada por dividir a história de seu tio conosco e vamos torcer para quem sabe nos encontrarmos pessoalmente.

Grande abraço a todos!!!