Quero aqui trazer para vocês o depoimento de minha mãe, Suzana de Pádua Veiga, uma SUPER avó que me ajuda muito com a Melissa e suas estimulações. Com certeza amor de avó é algo inexplicável, diz minha mãe que é um amor que chega a doer no peito rsrs.

Gostaria de expressar meus sentimentos em relação a ter uma neta com Síndrome de Down.

Primeiramente, só lembro que ela tem a Síndrome de Down quando alguém toca no assunto. Segundo, e tudo mais, eu a trato como tratei minhas 3 filhas, não a trato com nenhuma diferença.

A Melissa fica comigo todos os dias de 2ª. a 6ª., ela vai na escola normal no período da manhã e depois do almoço fica comigo, tenho todo tempo do mundo para que possamos nos relacionar, inclusive ela me ensinando muito mais do que eu a ela.

Ouvi tantas coisas, tantas recomendações de como lidar com pessoas com Síndrome de Down, o que fazer e o que não fazer, mas percebi que os cuidados com o bebê com S.D. são os mesmos para qualquer outro bebê, apenas com uma diferença, crianças com S.D. tem os músculos mais flácidos, talvez tenham problemas cardíacos ou pulmonares. Diga-me, qual criança pode não ter esses problemas?

É importante entender que cada criança é única, não devemos generalizar e tentar uma fórmula para tratar uma criança com Síndrome de Down. Você precisa conhecer SEU bebê e SUAS necessidades, assim como você tem necessidades diferentes de qualquer outro adulto.

Talvez precise de mais cuidados, cuide para que ele o receba. Talvez seja apenas a necessidade de estímulos, dê a ele todos os estímulos de que necessite, mas não esquecendo que o maior deles é o AMOR.

Sabemos que é necessário fortalecer esses músculos do corpo e da face. Para isso, precisam de acompanhamento de fisioterapia, fonoaudiologia, terapeuta ocupacional e o quanto antes melhor, porque assim seu bebê se desenvolverá como qualquer outro bebê.

Não tenha medo, não tenha vergonha, não se estresse se vierem falar ou questionar sobre seu bebê. Entenda, digo mais uma vez, que qualquer pessoa pode nascer com alguma necessidade especial e devemos lidar com ela com a maior naturalidade, mas a sua reação perante o seu bebê é marcante. O quão mais natural você levar a sua vida com a de seu bebê será melhor e mais resultados positivos serão alcançados.

Dê amor, atenção, carinho em primeiro lugar e juntamente com todos estes sentimentos corra para lhe oferecer as melhores terapias e tudo correrá bem.

O que posso dizer de minha netinha é que ela está muito arteira rsrs, safadinha e fazendo de tudo!!! Realmente o sentimento que tenho por ela é muito especial. AMO minhas filhas, mas o amor que tenho pela Melissa é algo indescritível, é algo que realmente dói no peito, como se eu quisesse que ela ficasse dentro de mim para eu poder cuidar e tê-la perto o tempo todo. Muitas pessoas vêem a Melissa e dizem como ela é feliz, e sei que ela é muito feliz, pois TODOS a amam demais e ela sente isso.

 

Escrito por Suzana de Pádua Veiga