(Não se esqueçam de ativar as legendas, caso elas não estejam ativadas, no ícone no canto inferior direito do vídeo!)

 

Bom dia pessoal! Hoje estou muito feliz de poder trazer para vocês uma conversa que tive com Sean, do Programa Born This Way, da A&E, que aqui no Brasil passou com o nome de "Minha Vida com Síndrome de Down", e com sua mãe Sandra. Fiquei muito feliz de poder ter o privilégio de conversar com eles e conhecê-los como pessoas.

Ressalto aqui novamente a importância da família na caminhada de nossas crianças, pois como mencionei em alguns artigos, acreditar e passar essa confiança para as crianças é muito importante para que eles entendam e saibam que estão sendo apoiados em suas decisões.

Abaixo algumas perguntas e respostas para facilitar a leitura, também uma foto deles e um vídeo onde abordamos alguns outros assuntos.

1. Sean, como foi a experiência na TV para você?

Muito legal, eu realmente gostei de todos que participaram do programa e foi muito divertido.


2. O que você diria que mudou em sua vida depois do programa de TV?

Agora muitas pessoas me conhecem e querem tirar fotos comigo. É muito divertido encontrar pessoas novas o tempo todo. E também sou contratado para conversar em grupos de pais e faço poses para fotos.


3. O quanto você aprecia o suporte de sua família?

Minha mãe e meu pai são maravilhosos e legais e me ajudam demais. Eu realmente amo eles.

 

4. Que mensagem você gostaria de passar para as crianças com Síndrome de Down?

Amem elas e as ajudem a aprender tudo e inscrevam elas para o futebol e todos os esportes.

 

5. Quais são as dificuldades para você em sua vida?

Eu nem sempre consigo namorar uma garota que os pais querem que elas casem, então um dia nós temos que terminar.

 

6. Você lida com alguma situação difícil por causa da SD?

Eu não posso dirigir um carro, então eu dependo de pessoas que me levem aos lugares o tempo todo.

 

7. Sandra, como mãe, qual foi a situação mais difícil que você enfrentou durante a vida de Sean?

Sean frequentava uma escola regular durante o Ensino Infantil, e eles deixavam que ele experimentasse todas as situações. Quando ele iniciou o Ensino Fundamental as professoras não deixavam nem que ele tentasse, inclusive a professora de teatro, e Sean queria muito estar na TV, então era muito difícil para o Sean aceitar quando a Professora de teatro falasse que ele não poderia estar na sala.

 

8. Você já sofreu algum preconceito? Como você reagiu nesta situação?

Sim, preconceitos das próprias professoras em limitar as oportunidades de Sean. Eu tentava marcar reuniões e ser legal. Quando isto não adiantava, eu preenchia formulários de reclamações no Departamento de Educação dos Estados Unidos contra a escola e as professoras. Graças a Deus aqui nos Estados Unidos as leis não adimitem discriminações.

 

9. Você, como mãe, poderia nos dizer algo que nos ajudará em nossas vidas?

Apoiem suas crianças nos sonhos que tiverem e nunca desistam delas. Leva um pouco mais de tempo para que nossas crianças aprendam, mas eles aprendem. Sean não falava e as pessoas não entendiam, até que fez 10 anos e colocou um expansor de palato e aparelho em seus dentes. Mesmo com 18 anos era difícil entendê-lo, mas ele queria tanto estar na TV que ele praticou muito e praticou conversar mais devagar e com uma melhor articulação. Se eu tivesse desistido dele em algum momento ele nunca teria alcançado seu sonho de estar na TV.

Bate papo com Sean e Sandra McElwee

Quero muito agradecer a disponibilidade de Sean e Sandra para dividir com todos os nossos seguidores as suas experiências. Quem sabe um dia poderemos nos encontrar pessoalmente, seja na California ou aqui no Brasil.

E se vierem para o Brasil, se preparem rsrs Faremos uma grande festa para recepcioná-los!!!

Até a próxima pessoal e desejamos à todos um ótimo Natal e uma passagem de ano FANTÁSTICA, que 2017 seja repleto de muita paz, harmonia e prosperidade!